fbpx

Controle financeiro: o coração da empresa

por Claudio Aníbal Cleto | Contador

Clássico Alphaville Assessoria, Consultoria & Auditoria Contábil

 

O controle existe para monitorar elementos escassos. No mundo empresarial, ter um bom controle financeiro é fundamental para rentabilizar o capital do sócio, ou seja, para gerar lucro e manter a atividade empresarial. A falta de organização nas finanças pode causar problemas graves e até levar a empresa à falência.

Por isso, manter um bom controle financeiro das contas a pagar e das contas a receber é essencial. Acompanhar de perto esse processo requer atenção, mas muitos empresários ainda têm dificuldades em fazer esse gerenciamento. O controle financeiro deve ser uma rotina na empresa, especialmente porque fornece informações para a tomada de decisões. Com ele, é possível identificar falhas e gastos desnecessários, buscar alternativas de lucro e equilibrar as despesas.

Cada empreendedor deve encontrar a melhor forma de organizar as informações financeiras de sua empresa. É preciso, antes de qualquer coisa, ter organização. A seguir, há três dicas que podem auxiliar empresários a controlar as contas a pagar e a receber:

  1. Tenha registado todo o fluxo financeiro

O registro do fluxo financeiro é indispensável para um controle adequado das contas. Para fazer um bom acompanhamento de resultados, é preciso que o controle tenha o maior número de detalhes possível, bem como uma classificação adequada. É conveniente separar as despesas fixas (aluguel, água, telefone, etc.) e as variáveis (compra de equipamentos, insumos, etc.), pois isso dará uma visão do todo e indicará quanto dinheiro há disponível na empresa para compras e investimentos. Tão importantes quanto as contas a pagar são os valores que a empresa deve receber. É de  responsabilidade da organização acompanhar a entrada desse dinheiro e evitar a inadimplência dos clientes, bem como programar cobranças.

  1. Não misture gastos pessoais com os da empresa

Confundir as despesas pessoais com as despesas da empresa é algo comum que acontece em pequenas e médias organizações e isso pode comprometer seriamente a saúde financeira do negócio. O correto é nunca misturar os dois, pois isso pode afetar a continuidade da atividade, gerando prejuízos e falta de controle.

  1. Planeje

Fazer um bom planejamento é imprescindível para administrar um negócio. Com ele, é possível estabelecer metas de vendas e projetar valores a pagar, obtendo então, uma margem de lucro desejada. Dessa forma, o gestor poderá viabilizar reinvestimentos futuros, além de promover expansões e evitar que haja desperdícios. Fazendo uma analogia do funcionamento de uma empresa ao do corpo humano, podemos sugerir que o controle financeiro é como o nosso coração. Ele é quem fornece suprimento para todas as outras áreas. Caso ele pare de funcionar, todo o resto também para. Por outro lado, o funcionamento do coração ocorre de acordo com os comandos do cérebro. Basta um comando cerebral e, quase que instantaneamente, o coração pulsa com mais ou menos força. Da mesma forma, é importante que o empreendedor,  responsável pela gestão financeira, esteja habilitado para fazer boa gestão, sendo capaz de perceber as demandas da empresa e estimulando-a para manter a saúde de todo o resto.

Compartilhar esse Post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

POSTS RELACIONADOS :